Segunda - Sexta 07:00 - 19:00

2º Sábado de cada mês

(11) 3021-5251

WhatsApp / Fixo

(11) 3021-3678

Fixo

 

Ouvidos: “até Eles” São Influenciados Pelos Hormônios!

Ouvidos: “até Eles” São Influenciados Pelos Hormônios!

O bom funcionamento dos ouvidos é essencial para a qualidade de vida.

Vários sintomas do ouvido, como zumbido, tontura, perda auditiva e hipersensibilidade auditiva (intolerância a sons) podem aparecer ou piorar durante qualquer fase de mudanças hormonais.

As mais conhecidas são a TPM, a gravidez e a menopausa e, por isso, esses sintomas de ouvido podem afetar mulheres de qualquer idade. Mas os homens também podem ser afetados, afinal a andropausa vai chegando devagar e “disfarçadamente”, pois os homens não têm a menstruação como um parâmetro tão nítido para perceber mudanças como as mulheres percebem.

As alterações hormonais podem interferir com a bioquímica do ouvido interno ou das vias auditivas em algumas mulheres, mas nem todas se queixam. Daquelas que se queixam, nem todas sabem ou relacionam seus sintomas às mudanças hormonais.

As meninas que ainda não menstruam (portanto, ainda não estão tão sujeitas às alterações hormonais), mesmo assim podem apresentar ouvidos mais sensíveis do que os meninos, segundo pesquisa de doutorado que nós orientamos em 2007, da Dra Claudia Coelho. Dentre 506 crianças de 5 a 12 anos, estudando em escolas públicas ou privadas, 37,1% apresentavam zumbido no ouvido e 9% tinham hipersensibilidade sonora (intolerância a sons), mas o sexo feminino foi predominante em ambos os problemas. As crianças não são pequenos adultos, mas pertencer ao sexo feminino foi um fator de risco para ter zumbido e hipersensibilidade auditiva, embora a causa não esteja esclarecida nessa faixa etária.

Em paralelo com a questão hormonal, o estresse é uma causa comum de interferência no ouvido e pode causar todos esses sintomas em ambos os sexos. As mulheres frequentemente associam seus sintomas de ouvido com o estresse (porque se sentem sobrecarregadas e fazem essa relação intuitivamente). Embora isso seja uma verdade, nem sempre elas relacionam os mesmos sintomas às suas alterações hormonais, daí a importância de fazer uma investigação mais ampla em pacientes com sintomas de ouvido.

Ser MÃE (assim, com letras maiúsculas!) é um dos maiores aprendizados das mulheres.
Espero que você tenha EMOÇÕES gostosas e reconfortantes quando pensa nessa palavra… seja por lembrar da sua mãe, da sua avó ou de seus filhos, mesmo que nenhum deles possa estar perto de você hoje.

Como qualquer aprendizado, quem disse que é fácil ser MÃE (assim, com letras maiúsculas)? Até para quem foi boa aluna na escola e na faculdade, a maternidade é um super desafio!!!
Maternidade é muito mais do que dar à luz, alimentar, vestir e colocar para dormir.
Isso qualquer uma faz. O difícil, pelo menos para mim, é o malabarismo de me equilibrar o tempo todo na corda bamba, jogando SEIS bolas para cima e fazendo esforço para não deixar nenhuma cair e quebrar.

1ª bola: nosso papel de moldar a personalidade dos filhos naquilo que é possível, QUANDO possível (sim, tem tempo para isso e quanto antes, melhor) e COMO possível (sim, tem jeito para isso, mas eu não sei exatamente qual é…), sempre para o bom caminho. Afinal, pus duas filhas no mundo achando que elas vão ser boas e felizes!

2ª bola: ter que ser bom exemplo (quase) o tempo todo para que eles não pensem que seu lema predileto é “faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço” (desmoralizante, né?). Essa bola foi motivadora para meu amadurecimento logo na primeira gestação. Sou exigente comigo mesma e faço de tudo para não errar o que já errei antes (a auto-cobrança chegou aqui e nunca mais saiu, rs).

3ª bola: achar que eles vão valorizar nossos bons exemplos, mesmo quando alguém chega com a tentação: “ahhh, deixe de ser careta, que mal faz só um pouquinho?”(um pouquinho de qualquer coisa que você ache que pode estragar seu filho). Esse é um dos meus sonhos. Será que elas vão ter esse discernimento e vão aprender com as ciladas da vida? Ai, que bola difícil de equilibrar!

4ª bola: entrosar as diferenças de personalidade, para que uma entenda a outra, mesmo quando não concorda. É o segredinho da receita para que a paz, a harmonia e o diálogo estejam sempre presentes em casa. Essa é a bola mais frágil e a que mais me cansa equilibrar… mas é a que mais vale a pena!

5ª bola: ensinar, desde sempre, a lição de que “combinado é combinado”. Sua palavra de honra bem cumprida faz de você uma pessoa confiável, que merece a credibilidade dos outros. Isso tem muito valor agregado, mas é um pensamento em extinção 🙁 Pessoas que falam uma coisa e fazem outra podem nos fazer mal a qualquer momento. Esse é outro dos meus sonhos… será que elas vão demorar para entender isso na prática? Será que vão aprender com as ciladas da vida?

6ª bola: aceitar (e agir de acordo!) que seus filhos podem sim, saber mais do que você em algumas coisas. Para falar a verdade, essa bola eu tenho um grande prazer de equilibrar! Não tem dinheiro no mundo que pague sua sensação de “queixo caído” porque sua filha foi surpreendentemente boa em alguma coisa (qualquer coisa!)

Rezo todo dia para conseguir equilibrar bem essas bolas!

Agora que o CORAÇÃO de mãe já está aliviado, vamos falar dos OUVIDOS, que é o tema de hoje, rsrs!

Sabe quando os ouvidos dos nossos filhos começam a funcionar? Entre a 5a e a 7a semana de gestação!!! Muita gente nem sabe que está grávida nessa época!

Vamos vincular EMOÇÕES, CORAÇÃO e OUVIDOS de uma vez!

Logo no comecinho da gestação, seu filho já pode ser emocionalmente bem moldado só porque já tem OUVIDOS funcionando. Não é legal?

– ele pode ouvir sua voz de mãe feliz porque está gravida. Ouvindo, ele sente…
– ele pode ouvir as músicas calmas que você coloca especialmente para ele
enquanto passa a mão na própria barriga e fala com ele. Ouvindo, ele sente…
– ele pode ouvir as conversas que você tem com o pai sobre como vocês estão esperançosos com a chegada dele e a vida nova. Ouvindo, ele sente…
– mas ele também pode ouvir quando você fala coisas que não são as melhores
que poderiam sair de sua boca. Ouvindo, ele sente…

Percebeu a importância? Portanto, dê valor aos seus OUVIDOS!

Eles são muito importantes na nossa vida, desde o comecinho!

Sou suspeita para falar, pois sou MÃE e otorrino “viciada” em saber cada vez mais sobre essa parte do corpo, 🙂

Feliz Dia das Mães! Nós realmente merecemos!!!