Segunda - Sexta 07:00 - 19:00

2º Sábado de cada mês

(11) 3021-5251

WhatsApp / Fixo

(11) 3021-3678

Fixo

8º CONGRESSO INTERNACIONAL DE ZUMBIDO – NOVA ZELÂNDIA

8º CONGRESSO INTERNACIONAL DE ZUMBIDO – NOVA ZELÂNDIA

Aqui vai um post cheio de fotos! Vou contar sobre o 8o congresso internacional de zumbido, organizado pela Tinnitus Research Initiative (TRI) em Auckland, Nova Zelândia, de 10 a 14 de março.

Primeiro, sobre o lugar: shooow de bola. O centro de eventos era ao lado da marina… Tinha cada barco lá, que nem conto! Vejam essa foto do amanhecer para vocês babarem como eu! Com essa paisagem linda, consegui correr 11,2Km pela primeira vez na vida… uma superação (sim, eu estava fora de fuso, rs)!

 

Além disso, eu adoro lugares onde as pessoas têm a mentalidade do primeiro mundo. Como simples exemplo, vejam a simples placa pregada na porta do banheiro feminino: “para minimizar nosso impacto no meio ambiente, a água da chuva é reciclada do telhado e usada nesses toaletes”. Não é chique demais? Igualzinho aos banheiros públicos do Brasil…

 

Em segundo, sobre o reencontro: eu considero esses congressos internacionais uma enorme oportunidade de encontrar a minha “família de ideologia”… pessoas que, como eu, acreditam piamente que a cura do zumbido tem que existir e se esforçam bastante – com ou sem condições financeiras – para acelerar novas descobertas. Quero realçar aqui os seguintes nomes:

1. Matteo de Nora (fundador da TRI), um portador de zumbido com uma mente incrível, que foi capaz de idealizar o sonho de ter os melhores pesquisadores do mundo trabalhando juntos. Falou que mantém viva a chama da esperança de que nós possamos descobrir a cura.

 

2. Berthold Langguth, neurologista e psiquiatra alemão, incansável pesquisador e fomentador de novas ideias. Falou sobre um grande projeto europeu que será iniciado em breve para compreender melhor o zumbido.

 

3. William Martin (nosso querido Billy), audiologista americano que acaba de se mudar de Portland para Singapura. Um “show man” perfeito para dar aula de qualquer assunto e um ser humano com coração do tamanho do céu. Tem o perfil ideal para trabalhar com pacientes com zumbido! Falou sobre como montar uma clínica de zumbido – partindo do zero – e sobre seu magnífico trabalho de prevenção de zumbido com crianças e adolescentes (Dangerous Decibels).

 

4. Ron Goodey, otorrino neozelandês recém-aposentado. Outro coração de ouro! Na foto, com sua doce esposa Lesley, que também adoro. Tive o prazer de ser recebida na casa deles.

 

5. Grant Searchfield, audiologista neozelandês e principal responsável pela organização brilhante desse evento: inteligência física e emocional, bom humor, conhecimento, organização e diplomacia. O que mais precisa?

 

6. Celene McNeill, audiologista brasileira que já mora há muitos anos na Austrália. Tive o prazer de participar da banca de tese dela pela Universidade McQuairie. Pessoa divertidíssima e sabe muito de adaptação de aparelhos auditivos para zumbido, mesmo em pacientes que têm audição oscilante!

 

Em terceiro lugar, sobre nossa participação: levei uma pesquisa (ousada!), feita em colaboração com o italiano Luca Del Bo, de Milão, sobre pacientes que alcançaram os estágios de remissão total (cura) ou de remissão parcial significativa (com recidivas curtas de zumbido), que vimos tanto aqui no Instituto Ganz Sanchez como na Fondazione Ascolta e Vivi. Modéstia à parte, minha apresentação ficou muuuito melhor do que eu imaginava, depois que aprendi a usar técnicas de Neuro-aprendizagem.

 

 

Enfim, adorei!

Como “o que é bom, dura pouco”, estou de volta com força total!

 

Até a próxima!!!