Segunda - Sexta 07:00 - 19:00

2º Sábado de cada mês

(11) 3021-5251

WhatsApp - (11) 94687-5456

Redes Sociais
 

Audiometria Altas Frequencias

O modo de avaliar a parte mais frágil dos ouvidos.

Atualmente, nós preferimos fazer uma audiometria mais completa do que aquela que a maioria dos profissionais está acostumada a pedir para os pacientes, pois ela só mede a audição para frequências sonoras baixas, médias e altas que variam de 250 a 8000 Hz.

A audiometria de altas frequências inclui a pesquisa dos limiares para sons super agudos, ou seja, de 9000 a 16000 Hz. Essa é a região mais frágil dos ouvidos e, por isso, é a primeira a ser lesada em várias situações em que o ouvido é agredido. Por isso, nossa audiometria “mais completa” analisa a audição dos ouvidos de uma maneira global e nos ajuda a conhecer as áreas que podem ter sido comprometidas por algum agressor, causando o zumbido.

Ela também é feita com o paciente sentado, dentro de uma cabina com isolamento acústico, usando fones de ouvido do tipo concha conectados ao audiômetro.

Para pacientes com zumbido que acham que escutam bem, é relativamente comum a audiometria tonal e vocal (veja em Audiometria tonal e vocal: o teste que todos devem fazer em qualquer idade!) estar dentro dos limites da normalidade, enquanto a audiometria de altas frequências já consegue mostrar alguma alteração auditiva que coincide com a frequência sonora do zumbido (veja em Acufenometria).

Daí a importância de se fazer um exame mais completo, especialmente nos casos de pacientes que referem que foram avaliados por outros profissionais e “ninguém descobriu nada”.